Você sabe o que deve fazer para ter uma boa Produção Científica?

Se você está na graduação e pretende continuar os estudos assim que terminar, ou mesmo se você pretende retornar à academia e se apresentar com um bom currículo, existe algo essencial para ter em mente: Produções Científicas e Técnicas, que são parte crucial da formação do Pós-graduando – e elas contam muitos pontos em processos seletivos e na obtenção de bolsas de estudos, uma vez que você já esteja aceito no programa de pós que você escolheu.

Mais que cumprir pontos necessários para ser aprovado num concurso, processo seletivo ou se candidatar a algum tipo de fomento, é necessário entender que essas produções são importantes para a construção da carreira como um todo, e para a devida comprovação das suas atividades e das produções que delas se constituem.

Por isso, hoje vamos falar sobre a importância de certas produções, mostrar as definições elementares do que é Produção Científica esperada de um aluno de pós-graduação, e ajudar a melhor entender como funciona a valoração deste tipo de trabalho como um todo para os Programas de Pós-Graduação em geral.

Boa parte das informações foram extraídas das Normativas e Instrucionais da CAPES, e com isso podemos dizer que a Produção Científica, de maneira geral, se divide em duas partes: Publicações & Participação em Eventos.

De forma geral, tanto as Publicações em Periódicos / Revistas e Livros (próprios ou organizados), quanto os Eventos, pontuam quando avaliados pela CAPES afim de que sejam verificados e formatados, obtendo seu QUALIS (para saber o que é o QUALIS, acesse aqui a Plataforma Sucupira). As publicações periódicas (revistas) para serem aceitas devem possuir um ISSN, e ter uma periodicidade mínima de publicação. Já os eventos entram para o QUALIS a partir da publicação de seus Anais, onde são publicados os trabalhos apresentados no evento, o que comprova e registra a produção científica lá apresentada. Tais produções são classificadas na seguinte colocação (tanto para eventos, quanto para publicações):

[Melhor Colocação] A1 > A2 > B1 > B2 > B3 > B4 > B5 > C [Pior Colocação]

Também é possível obter pontuação com produção científica participando de Eventos não categorizados pela CAPES, sem QUALIS, mas que estejam classificados em Áreas análogas ou próximas da sua pesquisa, especialmente da Área Interdisciplinar.

[Melhor Colocação]

Eventos de âmbito Internacional

Eventos de âmbito Nacional

Eventos de âmbito Regional

[Pior Colocação]

Outra forma de pontuar em Produção Científica é publicar em livros. Há 3 tipos de publicações admissíveis como pontuáveis pela CAPES e por uma grande parte das instituições de ensino superior: Livros Técnicos e Científicos (livros ficcionais contam, mas como produção técnica) editados pelo próprio autor individualmente, em coautoria com outro ou outros autores, ou publicando capítulo em coletânea, mas tal capítulo deve conter ao menos 6 a 10 páginas no citado livro. Mas aqui é necessário ficar atento: os livros de autopublicação (pagos pelo bolso do próprio autor) em geral não são bem vistos pelo mercado, até por que dificilmente eles têm qualquer curadoria e controle técnico, sem contar que, em geral, não contam com qualquer apoio da instituição ou do programa ao qual, eventualmente, pode pertencer o pesquisador. São bastante valorizados os livros publicados por editoras universitárias e técnicas, reconhecidas e de qualidade.

Tudo considerado, como comprovar estas produções científicas, de forma a abarcar o máximo de exigência possíveis, tanto da CAPES, quanto, por exemplo, de entidades internacionais?

COMPROVANDO A PRODUÇÃO

ARTIGOS PUBLICADOS EM PERIÓDICOS:

Para comprovação impressa ou digital de Artigos Publicados em periódicos- especialmente para entregar cópias comprobatórias em editais e concursos – providencie a Capa do Periódico em que foi publicado, a Ficha Catalográfica / Editorial, contendo o número do ISSN do periódico, as páginas do índice do periódico (mostrando, de que página a que página foi publicado) e a primeira folha que contenha seu nome, com o artigo e o resumo (se for necessário, em caso de haver uma contracapa ou capa de seção do artigo, providencie também). A maioria das instituições se contenta com a primeira página do artigo, mas as partes enumeradas acima comprovam não somente a sua publicação no citado periódico, mas também os dados do mesmo.

Sobre Cartas de Aceite: muitas vezes, pode acontecer de você precisar apresentar comprovação de que publicou, mas o periódico ainda não saiu. Neste caso, o e-mail ou carta que você recebeu avisando que seu artigo foi aceito, serve como comprovação suficiente. Uma vez que o periódico tenha saído, você substitui a Carta de aceite pela documentação anteriormente mencionada.

PARTICIPAÇÕES EM EVENTOS:

Nos eventos, em geral, há uma série de atividades que podem ser realizadas e das quais se pode participar – Participação Geral no Evento, Apresentação de Trabalhos, Apresentação de Painéis, Participação em Mesas Redondas e Debates, Apresentação de Oficinas e Palestras, Participação na Organização e na Coordenação do Eventos, entre outros, etc.

O mais importante é lembrar que, para cada uma dessas atividades deve haver uma comprovação. Cada uma  das atividades que você realizar oficialmente num evento científico deve receber uma Declaração de participação ou um certificado do evento. Um certificado pode conter comprovação para mais de uma atividade, mas devem haver cópias relacionadas a cada uma delas, por exemplo, quando você entregar uma versão impressa para um edital ou concurso.

Outra coisa importante diz respeito, ainda aos Anais de Eventos: a comprovação da publicação em Anais de Eventos deve seguir, em muito, a comprovação exigida para publicação em periódicos. Assim, se seu trabalho foi aceito para ser apresentado em um evento, você recebeu uma Carta de Aceite – ela é a sua comprovação, até que a publicação dos Anais ocorra. Uma vez publicados os anais, o que você precisa é a Capa dos Anais – em caso digital, a folha de rosto da página na web – a Ficha Catalográfica / Editorial, contendo o número do ISSN dos Anais, e a primeira folha que contenha seu nome, com o artigo e o resumo.

Eventualmente, é interessante, no caso de feiras mistas – isto é, que mistura tecnologia, ciência e mercado, guardar também crachás, passes de convidado, credenciais, cartas-convite, etc. Esse tipo de comprovação pode contar, também, como produção técnica.

PUBLICAÇÃO DE LIVROS & COLETÂNEAS CIENTÍFICAS:

No caso dos livros. você pode apresentar a Capa da Publicação, a Ficha Catalográfica / Editorial contendo o número do ISBN, as páginas do índice do periódico (mostrando, de que página a que página foi publicado) e a primeira folha do capítulo que contenha seu nome (se for necessário, em caso de haver uma contracapa ou capa de seção do artigo, providencie também).

Fique atento a este tipo de publicação: um livro registrado tem de conter um ISBN. Contudo, muitas publicações, principalmente as editadas digitalmente, em plataformas de self-publishing têm saído sem esse registro, por serem vendidas dentro de um ambiente “fechado” que é a loja do livro digital que o produz. Livros sem ISBN não têm validade ou registro, pois não podem ser distribuídos ou catalogados. Além disso, existe uma categoria de registro própria para livros digitais, o e-ISBN.

000002


Gostou desse artigo? Deixe sua opinião!

Precisa de ajuda com Publicações ou Revisão e Tradução de Artigos? Dá uma olhadinha aqui.

Licença Creative Commons
Gaia Sofia de Blog sobre Educação, Escrita e Vida Acadêmica está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.gaiasofia.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.gaiasofia.com.br.

Janaina L. Azevedo

Janaina L. Azevedo é Línguísta, Mestranda em Mídia e Tecnologia na UNESP de Bauru, e trabalha como Profissional Independente e Criativa. Escritora, Tradutora, Feminista, Artista (e arteira) nas horas vagas e Mãe do Dante no resto do tempo.

One Reply to “Você sabe o que deve fazer para ter uma boa Produção Científica?”

Deixe uma resposta